planejamento financeiro familiar

Planejamento financeiro familiar: 4 dicas para comprar um imóvel

Além de permitir que a família poupe com as despesas mensais de aluguel, a compra de um imóvel é uma das formas mais eficientes e seguras de investimento.

Para evitar apertos na hora de fechar o negócio, é fundamental manter um bom planejamento financeiro familiar.

Organizar as finanças é importante porque, além do valor mensal das parcelas do financiamento, é preciso estar preparado para os custos envolvidos com a documentação e a adequação da casa ou apartamento para a família.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de como organizar um planejamento financeiro familiar eficiente que ajude a adquirir o primeiro imóvel e, finalmente, mudar-se para a casa própria. Confira!

1. Separe um tempo para a organização do planejamento financeiro familiar

Essa primeira dica é essencial. Apesar de parecer óbvio, muitas vezes acabamos nos envolvendo nas atividades do dia a dia e deixando o planejamento financeiro de lado.

Para manter um plano que ajude a família a poupar a quantia necessária para a compra do imóvel, é preciso preservar o controle dos gastos atualizado.

Procure criar uma rotina para realizar esse controle. Pelo menos uma vez por semana, dedique um tempo para colocar o planejamento em dia e verificar se as metas de economia familiar estão sendo alcançadas ou se é preciso revê-las.

2. Crie metas

É muito fácil perder o foco quando o assunto é poupar. Para manter o objetivo e estimular toda a família, estabeleça metas a serem alcançadas a curto, médio e longo prazo.

Por exemplo, caso família precise poupar 100 mil reais para dar como entrada em um financiamento, divida o valor final em metas de economia mais modestas a serem alcançadas em curto prazo.

Essa é uma boa estratégia para manter a família estimulada e tornar o processo de poupança mais palpável e realizável.

3. Guarde o dinheiro a ser poupado logo no começo do mês

Com um planejamento financeiro familiar bem estruturado e atualizado, é fácil prever os custos da família ao longo do mês e o quanto é possível poupar nesse período.

Com essa informação em mãos, procure guardar o dinheiro transferindo-o para uma conta poupança ou fundo de investimento logo no “começo do mês”, ou seja, assim que a quantia já estiver disponível.

A ideia é que o valor a ser poupado seja encarado como mais uma conta a ser paga pela família. Essa estratégia evita que a verba seja gasta com outras despesas ao longo do mês.

4. Procure minimizar os custos

Dependendo da quantia que precisa ser economizada e do tempo disponível para atingir esse objetivo, talvez seja preciso minimizar os custos mensais para manutenção do estilo de vida da família.

Analise o planejamento familiar com cuidado, procurando por gastos extras que possam ser cortados, porém, tenha em mente que cortes muito radicais tendem a não dar certo, sendo logo deixados de lado.

Ao invés de cortar a TV por assinatura, por exemplo, é mais indicado evitar comer fora durante a semana. Assim, é possível economizar e ter uma vida mais saudável. A ideia é cortar os gastos supérfluos sem ameaçar o conforto da família.

A princípio, os valores envolvidos na compra de imóvel podem parecer um grande comprometimento financeiro. Porém, com organização e persistência, é possível realizar o sonho de investir na casa própria.

O planejamento financeiro familiar deve se tornar uma rotina. O ideal, é mantê-lo mesmo após a aquisição do imóvel, sobretudo para as famílias que optarem pelo financiamento.

Para quitar o financiamento mais rápido e evitar se enrolar com o pagamento das parcelas, é importante evitar as dívidas. Confira nossas dicas e saiba como conter as dívidas durante o financiamento imobiliário. Boa leitura!

035_007_CRM_EMAILMKT_BANNERS_EBOOK_600x150