sexta-feira, agosto 12

Conheça as 3 modalidades de financiamento imobiliário!

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A compra da casa própria envolve muito planejamento e um alto investimento financeiro. Muitas pessoas, que não têm todo o montante em mãos para pagamento à vista, recorrem ao crédito imobiliário para garantir esse sonho. Essa é uma das formas mais rápidas e seguras de adquirir uma moradia. Contudo, existem diferentes modalidades de financiamento imobiliário.

As instituições financeiras e os bancos oferecem várias formas de realizar o financiamento de imóveis, o que pode provocar muitas dúvidas para o consumidor. Por isso, é essencial conhecer essas possibilidades e avaliar com cuidado cada uma, para escolher a forma de crédito mais adequada. Vai comprar um imóvel e pensa em financiar? Neste post, vamos explicar o que é e como funciona, além de mostrar as principais modalidades de financiamento imobiliário.

Confira e boa leitura!

O que é financiamento imobiliário?

O atual cenário mercadológico faz com que poucas famílias consigam pagar à vista a compra de um imóvel. Assim, uma boa parte da população opta pelo financiamento imobiliário para consolidar o sonho de adquirir a casa própria. O financiamento imobiliário é um tipo de negociação feito por bancos ou instituições financeiras, com o intuito exclusivo de realizar a compra de um imóvel.

O recurso financeiro disponibilizado permite que o interessado adquira a propriedade de forma segura, fazendo o pagamento para a instituição responsável pelo “empréstimo”, em forma de parcelas acrescidas de correção monetária e juros. O financiamento imobiliário tem taxas de juros mais baixas e oferece longos prazos para a quitação total da dívida, no máximo de até 35 anos (420 meses).

Os bancos ou as instituições financeiras, geralmente, cobrem até 90% do valor do imóvel, que pode ser comprado novo ou usado, na planta ou em construção. Os recursos para a realização do financiamento imobiliário podem vir da caderneta de poupança ou da emissão de títulos, como de certificados de recebíveis imobiliários e letras ou cédulas de crédito.

Como funciona o financiamento imobiliário?

Para fazer o pedido de financiamento imobiliário, o consumidor deve separar toda a documentação exigida e levar até o banco ou a instituição financeira de sua preferência, para o preenchimento da ficha cadastral. Após essa primeira etapa, o banco fará a análise de crédito do interessado, ou seja, verifica o histórico de finanças e dívidas da pessoa.

Nesse contexto, é avaliado se o consumidor está inadimplente, se tem muitas dívidas na praça, sua renda e sua capacidade de quitação da dívida, entre outras questões. Além disso, outras pessoas da família, como cônjuges, pais ou filhos, podem participar da composição da renda mínima pedida para a concessão do financiamento.

Toda essa avaliação influenciará na taxa de juros e é determinante para a liberação, ou não, do crédito. Caso a documentação esteja de acordo e o financiamento seja aprovado, o banco ou a instituição financeira escolhida desembolsa o valor do imóvel e o interessado começa a fazer o pagamento das parcelas, conforme os prazos e as datas definidas previamente em contrato. 

Quais são as principais modalidades de financiamento imobiliário?

Existem diversas modalidades de financiamento imobiliário que contemplam os mais diferentes tipos de imóveis, como casas, apartamentos, pontos comerciais, terrenos e galpões. Por isso, é importante que o consumidor conheça as principais formas de conseguir o crédito, para poder optar pela que melhor atenderá às suas demandas.

1. Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

Essa modalidade de financiamento imobiliário está regulamentada pela Lei 4.380/64 e é esse Sistema Financeiro de Habitação (SFH) que encabeça a maioria dos créditos para compra de imóveis no país. A lei, implementada pelo Governo Federal, é assegurada pelos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS, e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

O Sistema de Financiamento de Habitação também possibilita que o consumidor solicite desconto de 50% na escritura e no registro do primeiro imóvel. Conheça as principais características dessa modalidade de crédito imobiliário:

  • avaliação do imóvel no valor máximo de R$800 mil;
  • o valor das parcelas não pode ultrapassar 30% da renda mensal do comprador;
  • o prazo máximo para o pagamento total da dívida é de até 35 anos;
  • a compra só pode ser feita por pessoa física;
  • a taxa de juros é de, no máximo, 12% ao ano;
  • o percentual do valor máximo a ser financiado é de 80% para imóveis novos e de 70% para unidades usadas;
  • a base de recursos vem do FGTS e da caderneta de poupança;

2. Sistema Financeiro Imobiliário (SFI)

O Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) também foi criado pelo Governo Federal, com o objetivo de suprir carências do SFH. Esse tipo de crédito é usado para a compra de imóveis com valores acima de 800 mil reais. Não há limite de renda comprometida e o prazo para pagamento de todas as parcelas, assim como o SFH, também é de até 35 anos ou 420 meses.

No SFI, o valor de concessão varia entre 80% e 90% do valor do imóvel e a compra pode ser feita por pessoa física ou jurídica. O recurso vem do SBPE e a taxa de juros é variável. Enquanto a dívida não for paga completamente, o imóvel fica em posse do seu comprador, mas não pode ser negociado para terceiros. Os principais requisitos para esse tipo de crédito são:

  • ser maior de 18 anos;
  • ter renda comprovada;
  • não estar cadastrado em órgãos de proteção de crédito, como SPC e Serasa.

3. Tabela Price

A Tabela Price, conhecida também como Sistema Francês de Amortização, a princípio, foi desenvolvida para calcular pensões e aposentadorias. Contudo, com o tempo, o mercado financeiro passou a fazer diversos tipos de empréstimos com essa modalidade de financiamento. No sistema imobiliário são oferecidas parcelas com o mesmo valor, do início ao fim do parcelamento. Como o saldo devedor diminui a cada pagamento, os juros também caem e o resultado é uma amortização cada vez maior. O prazo do financiamento é de até 420 meses.

Como escolher o melhor tipo de financiamento imobiliário?

Antes de tomar qualquer decisão, é preciso planejar todo tipo de ação para a realização do financiamento imobiliário. A compra de um imóvel compromete boa parte da renda e é preciso se programar na hora da concretização dessa negociação. Só assim, você consegue honrar com o pagamento das parcelas e evita dores de cabeça. Pesquise bancos e instituições financeiras, avaliando as condições de pagamento e as taxas de juros, a fim de escolher a modalidade que melhor se encaixa na sua realidade financeira.

Portanto, existem diversas modalidades de financiamento imobiliário e é preciso conhecê-las, para avaliar qual se encaixa melhor nas suas expectativas e no seu orçamento. Conte com a ajuda de uma imobiliária de confiança e realize o sonho da casa própria com mais tranquilidade e segurança.

Gostou deste post? Siga a Trisul no Instagram, no YouTube, no Facebook e no LinkedIn, para acompanhar todas as novidades do mercado imobiliário!

Compartilhar.

Confira agora
os nossos imóveis

Apartamentos exclusivos com ótimos preços e condições.

Ver empreendimentos

Comentários estão fechados.