domingo, agosto 9

Crédito associativo? Conheça esse tipo de financiamento imobiliário!

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Comprar um imóvel nem sempre é uma questão fácil de ser resolvida. Entre os principais problemas encontrados pelos potenciais compradores está a forma de pagamento. Afinal de contas, nem todo mundo tem recursos para pagar à vista uma casa ou apartamento. No entanto, há várias alternativas que podem ser usadas para essa finalidade, como consórcios, financiamento e o crédito associativo.

O consórcio e financiamento já são modalidades bem conhecidas entre os consumidores brasileiros, não apenas para comprarem imóveis, mas também para a aquisição de veículos, móveis e mesmo viagens, por exemplo. Mas uma forma que ainda é pouco conhecida é a do crédito associativo que, de forma geral, é voltado para o financiamento de empreendimentos que ainda estão na planta.

E para você entender melhor essa alternativa e suas vantagens, abaixo explicamos sobre esse tipo de crédito que também pode ser usado para a aquisição da esperada casa ou apartamento próprio. Confira!

O que é o crédito associativo?

É definido como crédito associativo recursos destinados especificamente para o financiamento de imóveis na planta, ou seja, casas ou apartamentos que ainda não estão prontos. Funciona da seguinte forma: uma construtora ou incorporadora organiza a venda desses imóveis e quando todos os contratos tiverem sido adquiridos, o negócio ou construção é financeiramente viabilizado em alguma instituição de crédito, que pode ser um banco, e as obras são iniciadas.

Ou seja, para que a construção seja feita, é preciso garantir que um número mínimo de compradores feche contratos de compra e, a partir disso, uma instituição financeira vai liberar os recursos necessários para o projeto.

Perceba que é uma situação diferente de quando se opta por um financiamento comum, onde não é preciso escolher, necessariamente, um imóvel na planta e o comprador também não dependerá do fechamento ou não de outros contratos de vendas para ter acesso ao seu imóvel. No entanto, principalmente para aqueles que sonham com o primeiro imóvel, esse crédito tem algumas vantagens.

Pode-se usar dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) ao assinar o contrato do crédito associativo. A instituição financeira que aprovou o crédito garantirá a liberação dos recursos necessários ao longo da obra e, até mesmo, há uma economia no que diz respeito ao pagamento de taxas de cartórios. 

Como ele funciona para a compra de imóveis?

Uma construção com recursos oriundos de crédito associativo passa por algumas etapas-chave até a sua conclusão. Primeiramente, existe a fase da captação, onde a incorporadora ou construtora enxerga uma oportunidade de negócio e começa a estudar as possibilidades, identificando o potencial do empreendimento, os recursos necessários e como o financiamento será feito.

Caso o projeto seja viável comercialmente, se inicia uma segunda fase — que é um pouco mais burocrática —, onde serão necessárias algumas aprovações junto a prefeituras e outros órgãos públicos, por exemplo. Essas duas etapas iniciais não envolvem os compradores dos imóveis, ou seja, tudo deve ser feito entre incorporadora e/ou construtora em conjunto com instituições financeiras.

Com as questões e aprovações iniciais resolvidas, chega o momento da comercialização dos imóveis que ainda são projetos. Nesse momento, a empresa responsável deve investir em campanhas de marketing bem direcionadas para atingirem o público desejado. Normalmente, essas empresas marcam presença em eventos imobiliários como as grandes feiras para atraírem compradores.

Ao assinar o contrato do crédito associativo, o comprador precisa aguardar a aprovação da instituição financeira, que vai analisar seu perfil socioeconômico antes de emitir uma decisão positiva ou negativa.

Em muitos casos, as empresas responsáveis pelo empreendimento usam recursos próprios para começarem a construção e, assim, conseguem atrair mais facilmente os compradores para que o crédito associativo seja viabilizado. Afinal de contas, um cliente vai ter muito mais segurança em comprar um imóvel que já está sendo construído. A fase final de todo o processo é a execução e finalização da obra, que vão acontecendo de acordo com a liberação dos recursos por parte da instituição financeira.

É importante destacar que a construtora precisa cumprir rigorosamente com o calendário apresentado ao solicitar o crédito, já que atrasos podem resultar no rompimento de contratos e mesmo descredenciamento da empresa como elegível para a obtenção desse tipo de recurso. 

Quais são os requisitos exigidos?

Para o comprador, o crédito associativo é uma ótima alternativa para aqueles que querem pagar juros mais em conta e também usar subsídios do Governo Federal. As instituições que oferecem esse tipo de crédito são o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal.

Seguindo como base as exigências da Caixa, que é um banco muito procurado para financiamento imobiliário, o público-alvo da modalidade de crédito associativo são Pessoas Físicas com renda mensal de até R$5.400,00. A documentação necessária que o beneficiário e também o cônjuge devem apresentar são:

  • documento de identidade;
  • CPF;
  • comprovantes de rendimentos;
  • comprovante de estado civil;
  • certidão positiva com efeitos de negativa da Receita Federal.

Caso a pessoa queira usar recursos do FGTS, ainda são necessários outros documentos como comprovante do tempo de trabalho com contribuição ao FGTS e última declaração do Imposto de Renda. A própria Caixa Econômica Federal, como viabilizadora da construção, determina que o prazo de entrega do imóvel deve ser entre 2 a 24 meses. Além do mais, a renda apresentada pode ser composta por mais de uma pessoa da família.

Quais são as vantagens do crédito associativo?

Bom, até aqui você já deve ter percebido que o crédito associativo é uma ótima possibilidade de criação de novos negócios para as empresas, não é mesmo? Mas saiba que, para os compradores, há também uma série de vantagens ao investir nesse financiamento. Entre os principais deles, podemos listar os seguintes:

  • as taxas de juros são algumas das mais baixas do mercado imobiliário;
  • os custos de escritura e registro de imóvel saem mais barato;
  • o FGTS pode ser usado no negócio;
  • caso tenha atraso na obra, o comprador não precisa pagar a taxa de obra, que são juros pagos ao banco.

Viu só como existem diferentes possibilidades para a obtenção de crédito para a compra da casa própria? Agora você já conhece também o crédito associativo e pode inclui-lo na sua lista de possibilidades.

E se você gostou destas dicas, aproveite para entrar em contato conosco e conhecer os nossos novos empreendimentos imobiliários!

Compartilhar.

Comentários estão fechados.