domingo, agosto 9

Entenda o que é a Letra de Crédito Imobiliário

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Nos dias de hoje, cada vez mais as pessoas se preocupam em aprender sobre educação financeira para usarem da melhor forma possível o dinheiro. Nesse sentido, cresce também a procura pelos mais variados tipos de investimentos, tais como poupança, tesouro direto, ações e LCI (Letra de Crédito Imobiliário). Mas você conhece as principais diferenças entre todas essas modalidades?

Falando especificamente sobre a Letra de Crédito Imobiliário, como o próprio nome diz, quando você investe nesse tipo de título está ajudando a fomentar a construção civil — ou seja, o mercado imobiliário. Se você tem dúvidas sobre a LCI, quais são os riscos, vantagens e rentabilidade, explicamos a seguir o que de mais importante é preciso saber. Confira!

O que é Letra de Crédito Imobiliário?

De maneira geral, a LCI serve para financiar novos negócios no setor imobiliário, um mercado em constante crescimento no Brasil. O investidor vai até um banco (ou outra instituição financeira autorizada pelo Banco Central) para emitir esse tipo de título e adquire contratos que preveem o retorno não apenas do que foi aplicado, mas também de uma taxa de juros pré ou pós-fixada.

Quando se opta por um contrato com rendimento pré-fixado, o investidor sabe previamente qual será o retorno do seu investimento se respeitado o período estabelecido. Por outro lado, existe a variação pós-fixada, onde o retorno do que foi investido vai variar de acordo com o que é determinado pelo Banco Central e também pela Selic.

Qual é a rentabilidade?

Além de ser uma alternativa segura, o que agrada novos investidores e também aqueles mais conservadores, a LCI também oferece outras vantagens que a tornam uma das modalidades mais interessantes.

Vale destacar que a Letra de Crédito Imobiliário é isenta de Imposto de Renda e alíquota de IOF para pessoa física — o que já são ótimas vantagens para se calcular o rendimento final do investimento. Outro ponto interessante é que, seja qual for o tipo de rentabilidade escolhido para a LCI, os números finais geralmente serão superiores ao da tradicional poupança.

Os rendimentos da LCI podem ser classificados como pré-fixado, pós-fixado e também híbrido. As duas primeiras, como explicadas anteriormente, possibilitam que o investidor saiba previamente a taxa de valorização ou poderá optar por um rendimento que vai variar de acordo com as taxas de juros básicos, respectivamente.

Já o rendimento híbrido, como o próprio nome deixa subentendido, é uma combinação entre as duas outras modalidades, já que os números finais envolvem uma taxa de juros fixa junto a um índice variável, como o IPCA.

Quais são os riscos?

O valor mínimo para investimentos em LCI vai depender da instituição financeira escolhida. Por exemplo, a Caixa Econômica Federal determina que os valores precisam ser múltiplos de R$1.000,00, sendo que o mínimo para uma nova aplicação deve ser R$30.000,00. Já no Banco do Brasil, o valor inicial investido pode ser a partir de R$500,00.

Além de ser mais valorizada que a poupança e não ser tributada, a LCI tem a vantagem de contar com a segurança do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Na prática, isso significa que mesmo que a instituição financeira esteja condenada à falência, o fundo garante que o investidor resgate o seu dinheiro aplicado, seguindo um limite de até R$250.000,00 por CPF.

Viu só como existem opções que vão muito além da pouco rentável poupança ou mesmo das imprevisíveis ações? A LCI é uma excelente alternativa pela segurança e também pela variedade de valores de investimentos iniciais oferecidas pelas instituições financeiras, sendo possível para os mais diversos bolsos.

E se você gostou deste post sobre Letra de Crédito Imobiliário, aproveite para assinar nossa newsletter e receber em primeira mão os próximos conteúdos!

Compartilhar.

Comentários estão fechados.